Sexta, 21 de Junho de 2024 00:29
75 9 9702 9169
Polícia Sonegação de imposto

PF investiga empresas de hortifruti da Bahia suspeitas de sonegar tributos com valores que ultrapassam R$ 10 milhões

Dez mandados de busca a apreensão são cumpridos nesta terça-feira (11), nas cidades de Ilhéus, Itabuna, Poções e Porto Seguro, no sul do estado.

11/06/2024 08h51 Atualizada há 1 semana
Por: Karoliny Dias Fonte: G1 Bahia

PF investiga empresas da Bahia suspeitas de sonegar tributos com valores que ultrapassam R$ 10 milhões — Foto: Divulgação/PF

A Polícia Federal cumpre 10 mandados de busca e apreensão nas cidades de Ilhéus, Itabuna, Poções e Porto Seguro, no sul da Bahia, nesta terça-feira (11). A "Operação Xepa" investiga um grupo suspeito de sonegar tributos com valores que ultrapassam R$ 10 milhões.

Segundo a Receita Federal, a fiscalização identificou um grupo empresarial que é formado por pelo menos três empresas de distribuição, duas patrimoniais, usadas para ocultação dos bens, e diversas pessoas físicas.

As empresas operacionais eram constituídas por pessoas laranjas, sem capacidade econômica, parentes dos investigados, mas sem poderes de gestão nas entidades, que eram delegados por meio de procurações bancárias ou cartoriais.

A Receita Federal estima que o prejuízo aos cofres públicos pode chegar a mais de R$ 100 milhões e abranger outras empresas do grupo.

Operação é resultado de investigação iniciada a partir de representações fiscais para fins penais, apresentadas pela Receita Federal contra duas empresas do ramo de distribuição de hortifrutigranjeiros. — Foto: Divulgação/PF

As investigações apontaram que:

- O grupo operava com empresas constituídas por laranjas, utilizando três empresas de distribuição de hortifrutigranjeiros e duas empresas patrimoniais, constituídas para ocultação e blindagem patrimonial.

- As empresas de distribuição de hortifrutigranjeiros agiam em contexto de "total confusão patrimonial", ao atuar no mesmo ramo de atividade, compartilhar endereços, usar as mesmas marcas comerciais e promover intenso fluxo de valores entre as pessoas jurídicas e físicas que integram o grupo econômico.

- Já no braço patrimonial do grupo, empresas constituídas em nome dos filhos dos beneficiários efetivos, sem desenvolver qualquer atividade operacional, acumularam patrimônio expressivo, através de compras de imóveis com recursos estranhos às entidades e de pagamentos direto das empresas do braço operacional.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.