Quarta, 18 de Maio de 2022 02:45
75 9 9842 0146
Saúde saúde

Janeiro Branco: saúde mental e emocional e sua relação com disfunções na mandíbula

Nos consultórios odontológicos, esse cenário se reflete na vida de aproximadamente 2 milhões de brasileiros

20/01/2022 15h16
Por: Reginaldo Junior Fonte: Redação
Janeiro Branco: saúde mental e emocional e sua relação com disfunções na mandíbula

O cuidado com a saúde mental e emocional tornou-se ainda mais necessário desde o início da pandemia da Covid 19, a qual trouxe consigo uma série de problemas emocionais relacionados ao medo, à ansiedade e à depressão. Nos consultórios odontológicos, esse cenário se reflete na vida de aproximadamente 2 milhões de brasileiros que, com o estresse emocional vivenciado, tem de lidar  com problemas  como dores de cabeça, cansaço muscular, dores na região cervical e até mesmo zumbidos incessantes no ouvido.

​Nesse primeiro mês do ano, o Cirurgião Bucomaxilofacial Thiago Leite chama a atenção para o movimento Janeiro Branco como uma oportunidade para que as pessoas atentem para um problema físico que tanto incomoda, mas que, na verdade, na maioria dos casos, tem sua origem em problemas emocionais. O especialista se refere aos sintomas da DTM – Disfunção Têmporo-Manibular – que tem sido uma das principais queixas no seu consultório.

“Desde o início da pandemia, a qualidade emocional da vida de todos nós foi afetada, sem dúvida, e o que temos observado é justamente o aumento da incidência do problema não apenas em adultos, mas inclusive entre adolescentes, por conta do estresse emocional que a pandemia nos trouxe”, salienta Dr. Thiago.

​A Articulação Temporo Mandibular (ATM) é responsável por ligar a mandíbula ao crânio. O cirurgião explica que essa parte da face pode sofrer desgaste e provocar diversos transtornos como estalos e travamentos, a própria dificuldade de mastigar e dores diversas e intensas na cabeça e região cervical. O diagnóstico é feito geralmente na primeira visita ao consultório do profissional que chama a atenção para o fato de o tratamento, necessariamente, ser multidisciplinar. Segundo Dr. Thiago Leite, o paciente é também orientado a complementar o tratamento clínico com terapias junto a psicólogo, acupunturistas e fisioterapeutas, bem como é inidicada, quando necessária, a reabilitação oral, com restabelecimento, inclusive, de dentes perdidos.

​ “A aplicação de botox também auxilia a redução da atividade muscular em situações mais simples, com o uso de placa de mordida, e, quando, necessária, a cirurgia é indicada e sempre com êxito”, afirma, frisando que os casos indicados para esse tipo de procedimento representa cerca de 35% dos casos e o paciente, na maioria das vezes, tem alta no mesmo dia. Thiago Leite ressalta que a ATM não pode ser tratada como um problema especificamente físico, uma fez que sua causa reside justamente em questões emocionais.

“Aproveitemos esse primeiro mês do ano, a Campanha Janeiro Branco, pra chamar a atenção para o fato de os cuidados com a nossa saúde mental e emocional, proposta desse movimento, requer cuidados especiais também pois, sem dúvida, influencia, e muito, no surgimento de outros males físicos e psicológicos”, afirmou o cirurgião.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.