Quinta, 29 de Fevereiro de 2024 19:15
75 9 9702 9169
Polícia Apreendido

Passaporte de Bolsonaro é apreendido pela PF, diz defesa do ex-presidente

Documento estava no gabinete do ex-presidente na sede do PL, em Brasília.

08/02/2024 17h49
Por: Karoliny Dias Fonte: G1
Ex-presidente Jair Bolsonaro — Foto: REUTERS/Ueslei Marcelino
Ex-presidente Jair Bolsonaro — Foto: REUTERS/Ueslei Marcelino

A Polícia Federal apreendeu o passaporte do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL). O documento estava no escritório dele na sede do PL, em Brasília, onde os agentes cumpriam um mandado de busca e apreensão.

A informação foi confirmada por Paulo Bueno, advogado do ex-presidente. A certidão de entrega do passaporte já foi emitida.

O passaporte de Bolsonaro foi apreendido no âmbito da operação deflagrada pela Polícia Federal nesta quinta-feira (8).

A PF investiga uma tentativa de golpe de Estado para manter Bolsonaro no poder por meio de uma minuta golpista que previa a prisão dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes e Alexandre de Moraes, além do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG).

As informações constam da decisão de Alexandre de Moraes que embasa a operação deflagrada nesta quinta contra militares e ex-ministros do governo Bolsonaro.

Todos os alvos da operação, incluindo o ex-presidente foram proibidos de falar com os demais investigados.

Bolsonaro já havia sido condenado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) por abuso de poder político e uso indevido dos meios de comunicação ao questionar o sistema eleitoral, o que o tornou inelegível até 2030. O ex-presidente também é alvo de outras investigações no STF.

Militares e ex-ministros alvos de operação

Estão entre os alvos de buscas na operação:

- General Braga Netto, ex-ministro da Defesa e da Casa Civil;

- General Augusto Heleno, ex-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI);

- General Paulo Sérgio Nogueira, ex-ministro da Defesa;

- General Estevam Cals Theóphilo Gaspar de Oliveira, ex-chefe do Comando de Operações Terrestres do Exército;

- Almirante Almir Garnier Santos, ex-comandante-geral da Marinha (veja o que ele disse sobre a operação);

 - Anderson Torres, delegado da PF e ex-ministro da Justiça;

- Valdemar Costa Neto, presidente do PL, partido de Bolsonaro;

- Tercio Arnoud Thomaz, ex-assessor de Bolsonaro, conhecido como um dos pilares do chamado “gabinete do ódio”;

- Ailton Barros, coronel reformado do Exército.

Foram alvos de mandados de prisão, segundo o blog da Andréia Sadi:

- Filipe Martins, ex-assessor especial de Bolsonaro (preso na casa da namorada);

- Marcelo Câmara, coronel do Exército ex-assessor especial de Bolsonaro;

- Bernardo Romão Correa Neto, Coronel do Exército;

- Rafael Martins de Oliveira, major do Exército.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.