Terça, 16 de Agosto de 2022 20:03
75 9 9702 9169
Polícia Morte brutal

Polícia Civil encontra arma usada no latrocínio contra estudante Cristal Pacheco; adolescente foi apreendido

Vítima foi morta com pistola calibre 6.35. Também foram encontrados um carregador e três munições intactas.

06/08/2022 09h29
Por: Karoliny Dias Fonte: G1 Bahia
Arma usada no latrocínio contra estudante Cristal Pacheco é apreendida — Foto: Divulgação / Polícia Civil
Arma usada no latrocínio contra estudante Cristal Pacheco é apreendida — Foto: Divulgação / Polícia Civil

A arma utilizada no latrocínio da estudante Cristal Rodrigues Pacheco, de 15 anos, no Centro de Salvador, foi apreendida durante a Operação Purgato, nesta sexta-feira (5). A pistola calibre 6.35 foi encontrada com um carregador e três munições intactas, na casa de um adolescente, na Rua do Sodré, no Largo Dois de Julho.

De acordo com a Polícia Civil, com o adolescente também foram encontradas porções de cocaína. Ele foi encaminhado à Delegacia para o Adolescente Infrator (DAI).

Conforme informações preliminares levantadas pelos policiais, na operação, a suspeita de matar a suspeita do latrocínio entregou a arma ao adolescente, que a escondeu dentro do imóvel.

A Operação Purgato começou a ser deflagrada no dia 21 de julho, com atuação de policiais de quatro departamentos do órgão, e visa reprimir furtos, roubos e outros crimes. Mais de 90 suspeitos foram conduzidos para averiguação e oito pessoas foram presas.

As ações são realizadas em diversos pontos do Centro, por equipes dos Departamentos de Crimes Contra o Patrimônio (DCCP), de Polícia Metropolitana (Depom), de Inteligência Policial (DIP) e de Repressão e Combate ao Crime Organizado (Draco), sob a supervisão da Assessoria Executiva de Operações de Polícia Judiciária (AEXPJ).

Suspeitas presas

A primeira suspeita de participar do latrocínio de Cristal Pacheco foi presa no mesmo dia do crime após denúncia feita pela mãe dela, de forma anônima. Gilmara Daiam de Sousa Brito passou por audiência de custódia e foi encaminhada ao Complexo Penitenciário da Mata Escura.

Em depoimento à polícia, Gilmara confessou ter participado do crime, mas negou que tivesse sido ela a atirar na vítima.

Já a segunda mulher envolvida, identificada como Andreia Santos Carvalho, de 28 anos, confessou à polícia que atirou na jovem. Ela se apresentou no Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) na quinta-feira (4).

A Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA) informou que Andreia foi presa quatro vezes, nos últimos três anos, por furtos em shopping e supermercado, na capital baiana.

A Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA) informou que as câmeras de análise situacional espalhadas pela região central de Salvador auxiliaram as equipes da Polícia Civil na descoberta da rota de fuga das suspeitas.

De acordo com o órgão de segurança pública, com as características das roupas usadas pela dupla foi possível filtrar as imagens de pessoas utilizando vestimentas semelhantes coletadas nos arredores do local do crime.

"As imagens iniciais mostraram que uma delas utilizava roupa rosa e que a outra estava vestida com uma peça azul marinho. Com a tecnologia nós conseguimos visualizar todas as pessoas que trajavam roupas com essas características e verificamos que a dupla havia passado momentos depois por uma das câmeras do bairro 2 de Julho", explicou o coordenador de Inteligência do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa, delegado Felipe Madureira. 

Segundo ele, a informação sobre a rota seguida pela dupla após o crime norteou as equipes de inteligência, ajudando na coleta de mais informações sobre as suspeitas. 

"Antes de termos essa informação disponibilizada pela tecnologia, nós tínhamos o conhecimento de que elas tinham tomado um táxi após o crime. As imagens das câmeras inteligentes mostram a dupla no bairro Dois de Julho, inclusive uma delas já havia trocado de roupa", continuou. 

A análise forense é uma das funcionalidades das câmeras inteligentes do projeto Vídeo-Polícia, que também dispõe de reconhecimento facial e de placas. A tecnologia permite fazer pesquisas através de características como cor da roupa, como a usada na investigação do latrocínio, ou de comportamentos, entre outros filtros de busca.

Imagens mostram crime

Cristal foi morta na manhã de terça-feira (2), enquanto seguia para o colégio. Ela estava com a mãe e a irmã, de 12 anos, que presenciaram o assassinato.

O disparo atingiu a adolescente na região do coração. O corpo dela foi sepultado no mesmo dia, horas antes da primeira mulher ser presa.

Uma câmera de segurança flagrou o momento em que a adolescente foi baleada e morreu, enquanto seguia para a escola. Dá para as três caminhando na calçada, quando foram abordadas por duas mulheres. 

As imagens mostram que as duas suspeitas estavam separadas. Elas esperaram a família se aproximar, e abordaram as vítimas.

Uma das mulheres parou na frente de Cristal e anunciou o assalto. A adolescente foi baleada logo em seguida e caiu sentada no chão.

De acordo com a polícia, o tiro atingiu o peito da garota, na região do coração. Depois do disparo, as suspeitas deram as costas e atravessaram a rua.

O vídeo mostrou ainda que a mãe e a irmã de Cristal tentaram prestar socorro à adolescente. Um homem que passava no local também ajudou a vítima.

Na gravação, um gari aparece. Ele atravessou a pista e foi em direção a adolescente baleada para socorrê-la.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.