Sábado, 18 de Maio de 2024 17:41
75 9 9702 9169
Bahia Viagem oficial

Governador embarca para missão oficial na Europa, com agenda voltada para transição energética

Jerônimo embarcou, na noite deste sábado (11), para a Europa, onde, juntamente com outros governadores do Nordeste, passará pelas metrópoles Roterdã, Bruxelas e Berlim, para discutir questões ambientais e climáticas cruciais para o desenvolvimento sustentável da região.

13/05/2024 08h04 Atualizada há 5 dias
Por: Karoliny Dias Fonte: SECOM / BA
Foto: Eudes Benício/GOVBA
Foto: Eudes Benício/GOVBA

O governador Jerônimo Rodrigues embarcou, na noite deste sábado (11), para uma missão oficial na Europa, onde, juntamente com outros governadores do Nordeste, passará pelas metrópoles Roterdã, Bruxelas e Berlim, para discutir questões ambientais e climáticas cruciais para o desenvolvimento sustentável da região. Também participarão da missão internacional representantes do Consórcio Nordeste e da Apex Brasil, e suas respectivas equipes.

“Vamos participar do maior evento de energias renováveis do mundo mas também estamos levando projetos para que a gente possa apresentar à Europa e ao mundo o potencial que nós, do Nordeste, e em especial da Bahia, temos pra atrair investimentos das indústrias e das empresas produtoras de energias renováveis”, destacou o governador.

Ainda de acordo com Jerônimo, a viagem com governadores de estados brasileiros vem acontecendo desde 2023 como forma de ampliar os investimentos em energia renovável no país — projeto que tem sido incentivado pelo Governo Federal para mitigação dos efeitos das mudanças climáticas.

“O presidente Lula reabriu o processo de construção dessas linhas que transmitem energia para todo o país. Então, isso nos permitiu a possibilidade de negociar com as empresas internacionais para que possam se instalar em nossos estados e assim produzir energia eólica, energia solar, hidrogênio verde, e a gente fortalecer nosso potencial de produzir energia”, destacou.

Em setembro de 2023, os governadores nordestinos assinaram parceria com o Banco Mundial para avanço na cadeia produtiva do Hidrogênio Verde (H2V) com o objetivo de criar cadeias de valor e um polo de hidrogênio, consolidando o Nordeste como centro de economia sustentável.

No mês de novembro, também do ano passado, o Consórcio apresentou à ministra de Meio Ambiente e Mudança do Clima, Marina Silva, proposta para criação do Fundo Caatinga, que destinaria recursos para a preservação do bioma. Na ocasião, ficou acertado que possíveis formatos para o fundo serão avaliados com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), entre outras organizações.

Já em fevereiro deste ano, o Consórcio assinou documento denominado “Carta de Natal”, reafirmando o compromisso do grupo em atuar de maneira eficiente para mitigar os efeitos provocados pela mudança do clima.

Após a apresentação no ano passado, o Consórcio e o Ministério de Meio Ambiente e Mudança Climática (MMA), em abril deste ano, formalizaram a criação do Fundo Caatinga com aval para o avanço em suas implementações.

Resultados de outras missões internacionais

Com três missões internacionais realizadas pelo governador Jerônimo Rodrigues – China e Emirados Árabes, em abril do ano passado; Dubai, em dezembro; e Espanha, em fevereiro, os resultados concretos já estão presentes em diversas áreas. Destacam-se a atração de investimentos, como a BYD e a Acelen, com a consequente geração de emprego e renda, e ações ambientais relacionadas ao hidrogênio verde, que também garantem mais investimentos internacionais para a Bahia.

Uma das principais conquistas obtidas a partir da primeira missão é o início da construção das instalações das três futuras unidades da gigante chinesa BYD. O investimento de R$ 5,5 bilhões, iniciado no Polo Industrial de Camaçari, vai gerar mais de dez mil empregos diretos e indiretos, ocupando a lacuna deixada pela Ford. Também houve a assinatura, com a empresa Acelen, de um memorando de entendimentos e plano de investimentos. Serão aplicados cerca de R$ 12 bilhões na Bahia, nos próximos 10 anos, para a produção de combustíveis de fontes renováveis, especialmente o diesel verde e o querosene de aviação.

Hidrogênio verde

Em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, Jerônimo lançou, em dezembro do ano passado, o 1º Atlas do Hidrogênio Verde (H2V) do mundo durante a 28ª Conferência das Partes (COP) da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (UNFCCC). A ocasião também proporcionou a apresentação do potencial da Bahia para a produção desta forma inovadora de energia limpa a investidores internacionais.

Em fevereiro deste ano, na Espanha, Jerônimo Rodrigues conheceu uma estação de abastecimento, com H2V, de veículos do transporte metropolitano de Barcelona e visitou o Centro de Referência em Tecnologia de Hidrogênio Verde (CER-H2) da Universidade Politécnica da Catalunha, visando parcerias tecnológicas e científicas.

O H2V que será produzido na Bahia atenderá aos tradicionais mercados de fertilizantes, refino e outros usos (gases industriais e hospitalares), e a novos mercados, nos segmentos de transporte, geração elétrica, armazenamento de energia, processos industriais, transportes pesados, aviação, aquaviário, siderurgia e fertilizantes.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.