Terça, 16 de Agosto de 2022 18:44
75 9 9702 9169
Polícia Operação

Polícia Federal faz mais uma operação em Feira de Santana; Dois secretários municipais são afastados

Denilton Brito, secretário de Governo, e Marcelo Britto, secretário de Saúde, foram afastados de suas funções pela Justiça.

04/08/2022 08h36
Por: Karoliny Dias Fonte: Boca de Forno News

 

Secretários de Saúde e Governo de Feira de Santana são afastados do cargo em operação da PF contra fraudes em licitações — Foto: Divulgação/Polícia Federal

A Polícia Federal realiza mais uma operação em Feira de Santana, na manhã desta quinta-feira (4). Nesta quarta-feira (3), a PF esteve na cidade cumprindo mandados de busca e apreensão em Feira de Santana. A operação, denominada Parcela Feira de Santana, combate fraudes no Auxílio Emergencial destinado a moradores carentes por conta da pandemia do novo coronavírus.

A operação de hoje diz respeito a denúncias feitas contra o secretário de Saúde do município, o médico Marcelo Britto. A PF veio cumprir mandados judiciais decorrentes de investigação relativa a irregularidades na contratação de empresa de propriedade de Britto que fizeram consultoria a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro da Queimadinha. Os valores seriam superfaturados.

A operação, chamada No Service, afastou s secretários municipais de Saúde já citado e o de Governo Denilton Pereira de Brito, por decisão da Justiça.

A investigação da PF identificou que, em 2018, a Prefeitura de Feira de Santana fez licitação para contratar uma organização social, para fazer a gestão compartilhada da UPA. O contrato tinha prazo de vigência de maio do mesmo ano até maio de 2019, por R$ 11.909.004, podendo ser renovado por cinco anos.

Junto com diretores de uma organização social, Denilton simulou a contratação e desviou R$ 200 mil para Marcelo. A polícia detalhou que, depois de receber o dinheiro, o secretário da Saúde aplicava parte do valor em investimentos, e repassava a outra parte para pessoas físicas e jurídicas.

Além disso, apesar de ter contrato de R$ 44 mil, firmado com a entidade gestora da UPA, a empresa do secretário de Saúde não prestou nenhum tipo de serviço, nem médicos nem de consultoria. Além do afastamento dos dois gestores, a PF também cumpre sete mandados de busca e apreensão.

Esses mandados são cumpridos em Feira de Santana, Salvador e também em São Paulo. Os investigados irão responder pelos crimes de peculato e de superfaturamento de licitação mediante a inexecução completa do contrato.

Secretários de Saúde e Governo de Feira de Santana são afastados do cargo em operação da PF — Foto: Divulgação/Polícia Federal

Denúncia na Câmara

A denúncia foi feita em setembro do ano passado pelo vereador e presidente da Câmara Municipal de Feira de Santana, Fernando Torres (PSD), na tribuna da Casa. Na época, segundo Fernando, a chamada GSM, teria prestado serviços por dois meses à UPA da Queimadinha.

“Essa empresa tem um capital social de R$3 mil e prestou serviços de R$400 mil durante dois meses. Estou com as notas fiscais em minhas mãos. Vamos a todos os órgãos de fiscalização e controle, como Ministério Público Federal, TCM e Polícia Federal, e vamos criar uma comissão aqui na Casa para investigar isso. A GSM está situada na Avenida Getúlio Vargas, mais precisamente no HTO (Hospital de Traumatologia e Ortopedia). Eu posso estar errado nessa denúncia, e se estiver, volto atrás e peço desculpas. Mas se eu estiver certo, vou até o fim”, disparou o vereador.

Com informações do G1 Bahia

 

 

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.