Terça, 16 de Agosto de 2022 18:59
75 9 9702 9169
Bahia Censo 2022

Coordenador Censitário do IBGE fala sobre como será o trabalho do Censo 2022 em Cachoeira

Leonardo Araújo e Mariana Barbosa, do IBGE, explicam como será o trabalho na cidade.

29/07/2022 12h46
Por: Karoliny Dias Fonte: Boca de Forno News
Leonardo Araújo e Mariana Barbosa - Foto: Boca de Forno News
Leonardo Araújo e Mariana Barbosa - Foto: Boca de Forno News

Leonardo Araújo, coordenador Censitário do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), falou como acontecerá o trabalho do Censo 2022 na cidade de Cachoeira. O censo começa a partir do dia 1º de agosto. O 13º censo demográfico do país é uma pesquisa que atualiza dados de quem somos, quantos somos e de que forma vivemos. “Ele gera dados estatísticos que venha a subsidiar políticas públicas no país”.

Ele irá identificar todas as características da população brasileira, o que ajudará também na elaboração de novas leis, investimentos na produção, subsidiar estudos acadêmicos. “Uma série de fatores gira em torno desses dados gerados pelo IBGE”.

Foi feita uma pesquisa prévia, chamada de pesquisa urbanística, que levantou características da cidade de Cachoeira relativo a saneamento básico e iluminação pública. “Fomos muito bem recebidos pela população. Entramos no passo seguinte, que é o treinamento de 142 recenseadores que estarão trabalhando nessa região que chamamos de Recôncavo Leste”.

Na cidade de Cachoeira, especificamente, será 27 recenseadores. A princípio, eles atenderão os bairros do centro da cidade, todo o entorno urbano da cidade, e ainda uma parte do Capoeiruçu e da Morutuba.

Mariana Barbosa, coordenadora de Área do Censo Demográfico na cidade de Cachoeira, afirmou que a área a qual administra no Recôncavo corresponde a sete municípios: Cabaceiras, Cachoeira, Conceição da Feira, Governador Mangabeira, Maragogipe, Muritiba e São Félix. “O número de recenseadores está distribuído por esses sete municípios e o treinamento aconteceu presencialmente em cada município. Foi repassado pelos supervisores e agentes municipais que foram contratados e treinados no final de maio e início de junho”.

A coleta dura três meses e vai até outubro. Os coordenadores pedem que as pessoas recebam bem os recenseadores porque a qualidade da coleta depende de suas informações de acordo com a realidade e como ela acontece. “Principalmente em tempos difíceis como esse. Tanto de doenças, como de riscos de pessoas que se passam por trabalhadores e pedem para entrar em suas casas”.

No colete do recenseador haverá um crachá com um QR Code que tem como a pessoa verificar a sua identidade. “Pedimos que as pessoas façam essa verificação para que ela se sinta segura ao prestar as suas informações. Estamos a disposição para qualquer dúvida”.

A agência do IBGE em Cachoeira fica ao lado da Igreja Matriz e existe uma equipe de supervisores a disposição da população. A seleção dos recenseadores aconteceu por processo seletivo. A remuneração dos supervisores é por um salário fixo e os recenseadores é por produção. “Eles ganham por questionário aplicado, por área percorrida, por cada domicílio. O censo demográfico é a única pesquisa que vai em todos os domicílios e a remuneração é de acordo com isso”, diz Mariana.

Serão questionados números de filhos e até a sua renda familiar. “É um número significativo de perguntas que vão subsidiar diversas políticas públicas”, destaca Leonardo. Mariana salienta que serão dois questionários: um básico, com a contagem de pessoas por exemplo, e o da amostra. Nele, alguns domicílios serão selecionados pelo sistema para que responsam um questionário mais detalhado, que entram perguntas sobre fecundidade, trabalho, educação. “Precisamos dizer isso para que as pessoas não estranhem quando souberem que alguém respondeu esse questionário mais detalhado”, afirma Mariana.

Como exemplo, Leonardo cita a arrecadação do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) que depende do número de habitantes das cidades. “O governo precisa ainda do número da população qual a quantidade de vacinas que aplica no caso da Covid-19. A qualidade e o sucesso desse trabalho dependem da boa vontade das pessoas em receber o recenseador. Para nós, responder ao censo é um ato de cidadania”, completa.

Leonardo diz ainda que esse será o primeiro censo que trará o mapeamento das comunidades tradicionais, particularmente as comunidades quilombolas.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.