Domingo, 03 de Julho de 2022 17:09
75 9 9842 0146
Saúde Saúde

UTI Neonatal do Hospital da Mulher salvou 225 bebês nos últimos cinco meses

São vidas que receberam assistência especializada e cuidado especial.

15/06/2022 08h05
Por: Karoliny Dias Fonte: SECOM / FSA
 Foto: ACM
Foto: ACM

Aline de Moura, de 26 anos, é mãe de primeira viagem. Foi no Hospital Inácia Pinto dos Santos, o Hospital da Mulher, que nasceu a pequena Áila Moreira pesando 3,150 Kg. A bebê necessitou permanecer na Unidade de Terapia Intensiva (UTI Neonatal). Na manhã de hoje, 14, mãe e filha receberam alta médica. 

"Foi uma surpresa para mim. Hoje estou tranquila porque minha filha se recuperou e vamos para casa", comemorou. Também cheia de expectativas e esperanças com a recuperação de seu filho, Joicecleide da Conceição Souza, moradora da cidade de Ipecaetá, teve seu bebê no Hospital da Mulher no último domingo, 12. 

Ela está internada na enfermaria enquanto o pequeno João Guilherme permanece na UTI Neonatal. Após o parto, ele apresentou má formação congênita e não tem previsão de alta. "Tomei como surpresa. Fiz o pré-natal e só após o nascimento foi detectado o problema. Tenho fé que vou levar meu filho pra casa", desabafou Joicecleide. 

Os relatos de Áila e Joicecleide se assemelham a centenas de testemunhos de mães que pariram no Hospital da Mulher e enfrentaram a angústia pela espera da recuperação de seus filhos na UTI Neonatal. Somente nos cinco primeiros meses deste ano, das 3.222 crianças que nasceram na unidade, 7% precisaram do suporte do berçário de médio risco e da UTI Neonatal – foram 225 bebês salvos.

Segundo a diretora-presidente da Fundação Hospitalar, Gilberte Lucas, a unidade funciona de portas abertas 24 horas. “Todas as mulheres que chegam em situação de vulnerabilidade e emergência clínica são atendidas imediatamente”, afirma. 

Humanização

O Hospital da Mulher vem construindo um novo modelo de atenção ao parto e nascimento, baseados na humanização do cuidado à saúde da mulher e do recém-nascido, inclusive com o incentivo ao parto natural. Do total de partos realizados neste ano 56% (1.800) foram normais e 44% (1.422) foram cesarianos.

Até o final de agosto, a Prefeitura de Feira prevê entregar à população mais oito leitos de berçário de médio risco. 

Segundo Gilberte Lucas, o berçário é um equipamento hospitalar de grande relevância para a redução de mortalidade infantil com atendimento aos recém-nascidos considerados de médio risco e que demandam assistência contínua com assistência multiprofissional. “Com a ampliação de leitos para os bebês que nascem prematuros asseguramos a oferta do serviço com atenção e cuidados necessários”, afirmou.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.