Terça, 16 de Abril de 2024 12:02
75 9 9702 9169
Polícia Operação da PF

Três pessoas são presas em operação da PF contra grupo especializado em fraudes na retirada da CNH na Bahia

Ao todo são cumpridos quatro mandados de prisão e 21 de busca e apreensão.

28/02/2024 10h10
Por: Karoliny Dias Fonte: Bahia Notícias / G1

Foto: Divulgação / Polícia Federal 

A Polícia Federal (PF) e o Ministério Público do Estado (MP-BA) deflagraram na manhã desta quarta-feira (28) uma operação contra fraudes na obtenção de carteiras de motoristas [CNHs]. Ao todo são cumpridos quatro mandados de prisão e 21 de busca e apreensão nas cidades da Bahia Santa Maria da Vitória, São Félix do Coribe, Coribe, Santana, Canarana e Bom Jesus da Lapa, todas no Oeste baiano e ainda em Brasília e Goiânia.

Foto: Divulgação / Polícia Federal

Três pessoas foram presas durante a "Operação Stop Driver.  Segundo informações da PF, a ação, em parceria com o Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público da Bahia (MP-BA), cumpre 21 mandados de busca e apreensão e quatro de prisão.

Os presos foram:

- um agente público da 17ª Circunscrição Regional de Trânsito (Ciretran), em Santa Maria da Vitória;

- um ex-servidor do órgão;

- um sócio de autoescolas.

A operação, que contou com a presença de 90 policiais. Os mandados foram decretados pela Vara Criminal de Santa Maria da Vitória.

A Vara Criminal de Santa Maria da Vitória também decretou o afastamento do servidor da 17ª Ciretran e o bloqueio dos bens dos quatro investigados.

Os crimes investigados são:

- organização criminosa;

- falsidade ideológica;

- corrupção ativa e passiva;

- prevaricação;

- lavagem de capitais.

As quatro pessoas presas foram levadas para a delegacia da PF de Barreiras, cidade que também fica no oeste baiano. Elas podem responder por uma pena máxima superior a 40 anos de prisão, além da perda de todo patrimônio adquirido com os crimes.

A Polícia Federal informou que as investigações continuam com o objetivo de identificar novos suspeitos de participar do grupo e colher novas informações.

Como funcionava o esquema

As investigações, iniciadas pelo MP a partir de denúncias anônimas, apontam que o esquema existe desde 2016, ano em que se apurou um “alto” número de habilitações concedidas a residentes distantes de Santa Maria da Vitória, inclusive vindos de outros estados.

O esquema consistia na venda de CNH a pessoas que não passaram pela avaliação exigida pelo Departamento de Trânsito (Detran), portanto sem aprovação técnica quanto a conhecimentos práticos e teóricos para se habilitarem como condutores.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.