ad
ad

Polícia Federal prende 2 ex-governadores do Distrito Federal

  A Polícia Federal prendeu na manhã desta terça-feira (23) os ex-governadores do Distrito Federal José Roberto Arruda e Agnelo Queiroz e o ex-vice-governador Tadeu Filippelli, atual assessor do presidente Michel Temer. Eles são alvos de uma operação que investiga um esquema de corrupção na reforma do estádio Nacional Mané Garrincha, em Brasília.

Também serão levados em prisão temporária, o ex-chefe de gabinete de Agnelo Queiroz, Francisco Cláudio Monteiro, o ex-presidente da Novacap Nilson Martorelli, o presidente do grupo Via Engenharia Fernando Márcio Queiroz e o suposto operador de Agnelo, Jorge Luiz Salomão.

As investigações apontam que o deputado federal Rogério Rosso (PSD-DF) também recebeu dinheiro desviado das obras. 

Entenda a operação

  • A 10ª Vara Federal do DF determinou a prisão temporária dos ex-governadores José Roberto Arruda e Agnelo Queiroz e, do ex-vice-governador Tadeu Filipelli.
  • De acordo com a Polícia Federal, as obras podem ter sido superfaturadas em cerca de R$ 900 milhões e causaram prejuízo de R$ 1,3 bilhão para a Terracap, empresa do governo do Distrito Federal.
  • Segundo o Ministério Público Federal, o ex-governador José Roberto Arruda foi quem “tramou a fraude licitatória” e Agnelo Queiroz trabalhou para “retirar obstáculos” que houvessem para a realização da mesma.
  • As investigações apontam há indícios de que o ex-vice-governador e atual assessor do presidente Michel Temer, Nelson Tadeu Filippelli recebeu propina para seu partido, o PMDB, entre 2013 e 2014.
  • A Justiça do Distrito Federal determinou, nesta terça-feira (23), o bloqueio de até R$ 26 milhões dos ex-governadores José Roberto Arruda e Agnelo Queiroz e do ex-vice-governador Tadeu Filippelli.

A operação, batizada de Panatenaico, é baseada em delação premiada de executivos da Andrade Gutierrez sobre um esquema de corrupção na reforma do Mané Garrincha. A PF diz que as obras podem ter sido superfaturadas em cerca de R$ 900 milhões, visto que estavam orçadas em R$ 600 milhões mas custou R$ 1,575 bilhão.

Agnelo, Arruda e Filippelli são alvos de mandados de prisão temporária, que tem duração de cinco dias. Além deles, a PF prendeu Maruska Lima, ex-presidente da Terracap, empresa do governo do Distrito Federal. Há ainda 3 mandados de condução coercitiva (quando alguém é levado a depor) e 15 de busca e apreensão, todos expedidos pela 10ª Vara da Justiça Federal no DF.

2017 Mantido por Boca de Forno News, Otimizado e Traduzido por EBS Multimídia